sexta-feira, 10 de julho de 2015

Pensada do dia

Gente que bebe não dá certo com quem não bebe e quem não bebe não deve insistir no relacionamento com alguém que curte beber.
To falando porque eu bebo e muito. Mas incorri no erro de ter TRES relacionamentos longos com caras que não bebem. E, olha, eu tenho certeza de que esse meu beber "muito" hoje é total consequência da minha abstinência compulsória durante 9.360 horas.
Ou seja, mesmo tendo passado mais de uma década, eu ainda tenho uma dívida enorme com Baco, gente.
Que venham, então, muitos Negronis, Jack Honeys (eeeeita!), taças de vinho sem fundo, Ritz Bijou e tudo o mais de bom que derramarem nos meus copos.
Beber é vida!

sexta-feira, 26 de junho de 2015

Cês conhece o Tinder?

Eu conheço.
Mas não tenho nada contra.
Nem a favor.
E/mas, muito menos, pelo contrário.
PORÉM (gente, isso NÃO é um poema) conheci - PELO TINDER - um putsa cara.
Mas, olha, que tranqueira. Puta que o pariu.
Claro que a culpa da babaquice alheia NÃO É do Tinder, né minha gente?
Mas dá um ódio ENOOOOOOORME constatar que, por causa do Tinder, "certas pessoas" que JAMAIS seriam parte de nossa vida, acabam cruzando conosco e zoando tudo o que estamos prontos a viver e sentir.

feeling errado?

o/

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Ahpaporra, viu?

Dai, vc ta quieta no teu canto. Mas aí vem a besta-fera te apoquentar, toda bonzinho, todo simpático.
E o que a anta faz? Claro que te dá um bolo. 
E o que a anta faz 2? Te liga horas depois. 
Ah! Por favor, né?! Me deixa em paz. Não me aborrece e me deixa quieta no meu canto. 
TCHAU!

domingo, 27 de julho de 2014

E o ensinamento que fica é

Não adianta você achar que o seu amor vai curar uma pessoa machucada, que não está pronta pra estar com vc (nem com ninguém). 
A pessoa até se apaixona e é bacana com a gente, mas quando o medo se sobrepõe à paixão, ela não vai hesitar em te deixar de lado. 
A quem fica com o abacaxi na mão, só resta aprender e seguir em frente. 

quarta-feira, 23 de julho de 2014

Porque eu vim da falta

Já perdi tanta coisa, venho de um período de tanta, mas tanta aridez (em todos os sentidos), que isso que tá passando por aqui agora é um grão de areia, sabe?
É chato, tô sofrendo e tal, mas não tem dor dilacerante.
Eu vim de um momento de nada, de falta, de fome e, sim, talvez tenha ido com sede demais ao pote. Mas isso é o que acontece com as pessoas que fazem compra quando estão famintas. A diferença é que elas talvez se arrependam do que compraram e eu não. Eu adorei (e adoro) o que consumi. Consumiria tudo de novo e com a mesma intensidade.
E quando tiver que fazer tudo de novo será do mesmo jeito. Porque é assim que quero sorver a vida, sabe? Afinal, como disse, eu vim da falta.

sexta-feira, 18 de julho de 2014

Bitter sweet symphony

Lembro de ter ido a um casamento em 2004 e ouvido essa música tristíssima do The Verve no momento da consagração e ficar chocada. Como pode tanta melancolia num casamento?
Vou nem entrar no contexto do noivo, mas fiquei chocada com a coragem de colocar algo tão lugrebe pra um momento tão sublime. 
Agora, 10 anos depois, to aqui escutando a mesma música e mais chocada ainda com a vanguarda e coragem do casal. 
A melodia é linda, mas que letra bosta.